Feedback e feedforward: você sabe qual é a diferença entre esses dois conceitos de gestão de pessoas?

Enquanto o feedback é voltado para ações passadas, o feedforward tem como foco o que o colaborador deve fazer no futuro.

E o líder tem um papel central na implementação dessas estratégias no mundo corporativo.

É ele quem está sempre próximo aos membros da sua equipe, fazendo uma conexão entre a direção da empresa e os colaboradores que estão na linha de frente.

Isso permite que as organizações caminhem para frente, rumo aos objetivos traçados.

Um bom líder, então, seria aquele que não só fornece feedbacks constantemente, ajudando seu time a se posicionar melhor na vida profissional, mas que também recebe feedbacks de seus liderados, ouvindo suas necessidades e agindo de acordo.

E mais: o bom líder precisa olhar para o futuro, identificando as mudanças necessárias para alcançar resultados satisfatórios.

Como o ser humano é complexo por natureza, a gestão de pessoas deve ser uma ciência dinâmica e que está sempre se transformando em busca de melhores formas para dar conta das realidades mutantes do trabalho.

Desse aperfeiçoamento constante surgem os conceitos de feedback e feedforward.

E há boas razões para adotar o feedforward, olhando para o futuro da organização.

Se você quer saber mais sobre ele e por quê adotá-lo em seu estilo de gestão, acompanhe-nos!

Feedback e feedforward: qual deles dá conta das dinâmicas do mercado?

Primeiro vamos entender o que é feedback antes de identificar qual estratégia é mais adequada para a realidade do mercado.

A estratégia de feedback já é bastante conhecida no mundo da gestão de pessoas.

Trata-se de dar um retorno referente aos aspectos do desempenho ou comportamento de alguém dentro da empresa, tendo como referência metas a serem alcançadas, cultura organizacional ou mesmo orientações individuais prévias.

Aqui, é importante entendermos que o feedback tem sido utilizado muitas vezes de forma equivocada, focando somente em erros, sendo subjetivo e tendo baixa frequência.

As pessoas precisam saber se suas posturas e esforços estão indo na direção e velocidade desejada ou não. Além disso, ele permite que os colaboradores entendam em que momento de suas trajetórias profissionais eles se encontram e se estão progredindo ou regredindo.

Entretanto, a estratégia de feedback apresenta um problema fundamental: ela é centrada no passado, o que não condiz com um mercado cada vez mais dinâmico. É justamente aqui que entra o feedforward.

Quando falamos de feedback e feedforward, é o feedforward que apresenta maior eficiência em dar conta das dinâmicas do mercado atual.

O que é feedforward?

A estratégia de feedforward, então, surge como uma evolução ao tradicional feedback, mudando o foco das interações entre líderes e colaboradores para ações futuras, procurando também antecipar demandas e problemas em vez de solucioná-los a posteriori.

Fazendo uma analogia simples, podemos dizer que o feedback seria como um espelho retrovisor: com ele olhamos para os eventos passados, a fim de compreender como chegamos aqui e evitar que sejam cometidos os mesmos erros.

Já o feedforward seria, na mesma analogia, como o para-brisa: através dele olhamos o que está em nossa frente e podemos escolher os melhores caminhos e decisões a serem tomadas.

Feedback e feedforward: Por quais motivos usar o feedforward?

Feedback e feedforward são boas estratégias, mas esta última é a ideal.

E-book_CrowdsourcingPowered by Rock Convert

De forma mais concreta, alguns dos motivos para adotar uma estratégia de feedforward são:

É possível mudar o futuro, mas não o passado

Atletas de alta performance e CEOs de sucesso têm uma coisa em comum: eles centram suas atenções no futuro. O jogador de basquete visualiza a bola entrando na cesta e os passos que dará para chegar até lá, e não os erros que cometeu no começo da partida.

Esse foco no futuro nos motiva a querer agir futuramente em vez de concentrar nossos esforços em ações do passado — que, por definição, já não podem ser corrigidas.

Pessoas de sucesso respondem melhor ao feedforward

Profissionais de sucesso, que procuram sempre apresentar uma performance de excelência, estão constantemente à procura de informações que lhes permitam chegar mais perto de seus objetivos.

É fundamental ensinar a “fazer o certo” em vez de “não fazer o errado”

Mesmo um feedback positivo costuma passar por uma revisão de erros. Essa abordagem faz com que as interações entre líderes e colaboradores sejam frequentemente vistas como momentos de tensão por ambas as partes.

Uma abordagem centrada em ajudar as pessoas a fazer o certo antes que elas possam errar evita que esse processo de orientação seja negativo ao agir de forma preventiva.

Uma abordagem impessoal é utilizada

Em tese, o feedback, quando bem realizado, é uma resposta impessoal, focada estritamente em aspectos técnicos e profissionais do desempenho.

Acontece que, para a maioria de nós, o trabalho é um aspecto importante da vida, portanto, contaminado de viés pessoal. Isso se torna ainda mais verdadeiro quando falamos de profissionais de alto nível.

Por endereçar algo que ainda não aconteceu, o feedforward se torna profundamente objetivo e impessoal, sendo assimilado de forma muito mais fácil.

Feedback e feedforward, portanto, falam de momentos diferentes: passado e futuro.

Como aplicar o feedforward?

Agora que você entende a diferença entre feedback e feedforward, é hora de conhecer a importância de adotar o feedforward na sua gestão.

Vamos ver como exatamente aplicar essa estratégia nas suas equipes.

Identifique os traços a serem melhorados

O primeiro passo para um feedforward bem-sucedido é identificar no indivíduo características que possam ser desenvolvidas e que tragam benefícios tanto para a empresa quanto para o crescimento profissional do sujeito.

Essas competências podem ser de dois tipos: técnicas ou comportamentais.

As primeiras dizem respeito ao desempenho da sua função propriamente dita (como a habilidade de um mecânico para consertar carros) e as segundas tratam de aspectos de convivência e relacionamento.

Aqui, é importante procurar manter o foco em melhorar o que já é bom em vez de tentar apenas suprir faltas.

É claro que, se uma determinada competência está abaixo do minimamente aceitável, ela deve ser trabalhada. Todavia, o objetivo do feedforward é alcançar a excelência naquilo em que o indivíduo já é bom.

Peça orientações

Uma vez identificado um traço que se deseja melhorar, o próximo passo é pedir conselhos de como trabalhar esse aspecto no futuro.

Esses conselhos podem vir da sua liderança ou das pessoas que lidam diretamente com você – que podem ter uma percepção mais realista de quão desenvolvida está essa competência e como ela pode melhorar.

No exercício do feedforward, é preciso que ambas as partes desenvolvam uma escuta atenta, ouvindo de fato o que se quer alcançar e o como isso pode ser feito.

Como vimos, o feedforward é uma excelente estratégia, que nos permite antever problemas e desenvolver uma comunicação interna não agressiva.

Como todas as ferramentas, a prática leva a perfeição. Pratique sem moderação!

Escute e selecione as melhores ideias com crowdsourcingPowered by Rock Convert