É fácil perceber a influência do clima organizacional nas empresas e nas pessoas, mas como você provaria essa relação?

Sabemos que colaboradores satisfeitos produzem melhor e que um ambiente de trabalho positivo é decisivo para os resultados do negócio.

Para o RH, o desafio é mostrar como essa dinâmica opera na empresa e justificar os investimentos na experiência do colaborador.

Afinal, não é tão simples demonstrar como os ânimos e percepções gerais entre funcionários estão afetando os números da empresa.

Por isso, vamos ajudar você com dados, estatísticas e argumentos que deixam claro o papel do clima organizacional na performance corporativa como um todo. 

Siga a leitura e prepare-se para inovar na gestão de pessoas. 

Clima organizacional influencia os resultados das empresas e das pessoas?

Para entender a possível influência do clima organizacional nas empresas e nas pessoas, precisamos rever o significado desse conceito

“Conjunto de percepções das pessoas sobre o ambiente de trabalho, considerando todos os pensamentos, opiniões e sentimentos em relação à empresa.”

Cada colaborador tem um ponto de vista da organização, mas a soma dessas perspectivas determina se a atmosfera geral é positiva ou negativa.

Ou seja: o clima organizacional é o principal indicador que permite medir a qualidade do ambiente de trabalho. 

Logo, é óbvio que esse conceito tem influência sobre os resultados da empresa e das pessoas, uma vez que impacta diretamente os níveis de engajamento, motivação e bem-estar no emprego. 

Por isso, o RH utiliza a pesquisa de clima organizacional como instrumento para avaliar a experiência do colaborador e o estado dos ânimos na empresa.

Quanto melhor for o clima, melhor é a performance das pessoas e do negócio. 

Da mesma forma, um clima ruim pode ser devastador para os resultados da empresa.

Nos métodos de avaliação, são avaliados critérios como:

  • Fatores de motivação e desmotivação para os colaboradores
  • Percepção dos profissionais em relação às políticas de gestão de pessoas
  • Nível de consciência sobre os objetivos gerais do negócio e papel individual no sucesso da organização
  • Qualidade do relacionamento com os líderes e colegas de trabalho e nível de integração com a equipe
  • Grau de satisfação com o ambiente de trabalho nas dimensões física, organizacional e tecnológica
  • Reconhecimento de oportunidades de avanço e capacitação profissional 
  • Percepção e sentimentos em relação aos valores, princípios e práticas da cultura organizacional.

Esses são alguns aspectos que determinam o saldo final do clima organizacional, mas cada empresa deve conduzir sua própria análise de acordo com a realidade do ambiente.

Influência do clima organizacional nas pessoas

O clima organizacional funciona como um termômetro para medir os ânimos das pessoas em relação à empresa, levando em conta sua satisfação, envolvimento e motivação.

Vamos começar pela estatística mais conhecida — e também a mais preocupante: 85% dos colaboradores do mundo todo estão desmotivados e pouco envolvidos em seu trabalho. 

O dado é do relatório State of the Global Wokplace, publicado em 2017 pela Gallup, e faz parte de um fenômeno global denominado “crise do engajamento”.

No Brasil, outra pesquisa confirma a tendência: 56% dos trabalhadores brasileiros estão insatisfeitos com seu emprego, de acordo com um estudo realizado em 2017 pelo Instituto Locomotiva, publicado no G1

De acordo com Renato Meirelles, presidente do instituto, a pesquisa deixa claro que o salário não basta para deixar os funcionários motivados:

“Numa escala de graus de satisfação dos trabalhadores, é como se salário fosse essencial, premiação fosse sensacional e o reconhecimento “imaterial”, fosse extraordinário.”

Ou seja: o ambiente de trabalho positivo não é definido apenas por salários justos e benefícios, mas também pelos esforços de reconhecimento, comunicação eficaz e boa relação com a liderança.

Na pesquisa Employee Job Satisfaction and Engagement, publicada em 2016 pela SHRM, encontramos bons exemplos de aspectos que refletem no clima organizacional, em ordem de prioridade:

  • Tratamento respeitoso da parte de todos os líderes e colaboradores 
  • Salário e benefícios 
  • Segurança no trabalho 
  • Relação de confiança entre os colaboradores e gestores 
  • Oportunidades para utilizar suas habilidades no trabalho 
  • Espaço para dar ideias e sugestões
  • Reconhecimento do superior direto em forma de feedback, incentivos e recompensas 
  • Autonomia para tomar decisões
  • Cultura organizacional inspiradora
  • Oportunidades de desenvolvimento profissional.

Quando esses elementos são contemplados pela gestão de pessoas e o clima organizacional é positivo, os resultados são surpreendentes.

De acordo com uma pesquisa realizada em 2012 pela Bright Horizons, dois terços dos trabalhadores norte-americanos afirmaram colocar um esforço extra no trabalho quando estão satisfeitos com a empresa.

Já um estudo da Harvard Business Review, publicado em 2012, mostra que os profissionais satisfeitos com seu trabalho e motivados apresentam uma capacidade produtiva 31% maior e três vezes mais criatividade.

De qualquer modo, é fácil constatar o poder de um bom clima organizacional: basta pensar que a máxima “funcionário feliz é mais produtivo” já foi exaustivamente comprovada. 

E-book_CrowdsourcingPowered by Rock Convert

Influência do clima organizacional nas empresas

A influência do clima organizacional nas empresas e nas pessoas é determinante para os resultados do negócio, como você já deve imaginar.

Vimos que o engajamento e o bem-estar são os propulsores do clima positivo nas empresas, e agora vamos analisar o impacto desse ambiente satisfatório nas organizações. 

Para começar, é importante saber que as equipes engajadas são 21% mais lucrativas para a empresa, de acordo com um relatório de 2017 da Gallup

Quando consideramos as empresas do ranking Great Place to Work 2019, das 150 Melhores Empresas para Trabalhar no Brasil, as estatísticas surpreendem:

  • Ganhos de R$ 201 milhões com mais de 2 mil ideias enviadas pelos seus colaboradores (e devidamente colocadas em prática)
  • Taxa de rotatividade três vezes inferior ao restante do mercado (apenas 7% contra 24% das empresas em geral)
  • Lucros 7% mais altos do que as maiores empresas do país (R$ 570 milhões contra R$ 610 milhões)
  • Retorno financeiro três vezes mais atraente para acionistas.

Além disso, o simples fato de ter obtido o selo Best Place to Work está associado a uma valorização de 75% nas ações da empresa, segundo uma pesquisa da Glassdoor realizada em 2015.

São motivos suficientes para investir no clima organizacional, concorda?

Por outro lado, a negligência com a satisfação e bem-estar dos funcionários pode custar muito caro. 

Segundo o relatório da Gallup citado anteriormente (State of the Global Workplace), as empresas perderam cerca de US$ 7 trilhões com a baixa produtividade entre 2014 e 2017. 

Já a pesquisa DNA of Engagement, realizada pelo The Engagement Institute em 2017, mostra que as perdas com a falta de engajamento custam entre US$ 450 e US$ 550 bilhões por ano para as empresas.

Logo, vale a pena medir seu clima organizacional e trabalhar por um ambiente de trabalho mais integrado, saudável e estimulante.

Os resultados positivos vão aparecer em todos os níveis: desde o comportamento dos colaboradores até os indicadores financeiros da empresa.

Como melhorar o clima organizacional para empresas e pessoas

Você já tem algumas pistas de como melhorar o clima organizacional para empresas e pessoas, certo?

Vimos alguns fatores decisivos para melhorar o ambiente de trabalho, que formam a percepção geral da jornada na empresa — conhecida como experiência do colaborador.

Mas como saber quais são os critérios mais importantes na experiência dos seus funcionários?

A resposta é simples: perguntando diretamente a eles. 

Parece óbvio, mas a maioria das empresas falha na hora de ouvir o que as pessoas têm a dizer. 

Para começar, o clima organizacional não pode ser medido uma ou duas vezes ao ano, em uma pesquisa padrão do RH que coleta alguns dados e acaba sendo interpretada de cima para baixo.

A única forma de estabelecer um diálogo autêntico com os colaboradores é dar voz a eles, por meio do conceito de employee voice.

Isso significa estreitar a comunicação entre profissionais e empresa, abrindo espaço para a participação coletiva nas decisões e feedback contínuo. 

Ao invés de aplicar um questionário pontual — percebe como isso é distante? —, você precisa manter uma conversa constante com seu pessoal, de forma inclusiva, transparente e colaborativa.

Você deve estar pensando em como fazer isso com dezenas ou até centenas de colaboradores, na rotina acelerada dos negócios. 

Seja qual for o tamanho da sua empresa, você conseguirá se conectar a todos com a Waggl: uma plataforma de crowdsourcing 100% online que promove a escuta ativa de verdade.

Por meio da metodologia de pesquisa pulso, você pode criar perguntas certeiras, coletar respostas e, com o auxílio do Algoritmo de Crowdsourcing Voting, selecionar os melhores insights.

Assim, fica fácil elaborar sua pesquisa de clima de forma simples, inclusiva e transparente, captando os feedbacks com frequência e em tempo real.

Além disso, a Waggl permite que você acesse a inteligência coletiva, abrindo um universo de ideias inovadoras que podem transformar seu negócio.

Dessa forma, todos se sentem pertencentes e ouvidos na empresa, e o ambiente de trabalho ganha vida com uma cultura colaborativa. 

Já imaginou o que esse ferramenta pode fazer pelo seu clima organizacional?

Descubra você mesmo: agende uma demo para testar a estratégia de escuta na sua empresa.

Escute e selecione as melhores ideias com crowdsourcingPowered by Rock Convert