Para construir uma relação de confiança, em qualquer área da vida, é preciso que haja respeito e consideração de todas as partes envolvidas. Para tanto, a troca de ideias e percepções se faz necessária. Mas, no âmbito empresarial, o feedback se torna essencial para a evolução dos profissionais e da organização como um todo.

Isso ocorre porque dar voz aos funcionários, em vez de apenas dizer-lhes o que está bom ou ruim, amplia a visão que eles têm da empresa e de si mesmos, fortalece os vínculos entre líderes e liderados e também entre colegas.

Se você quer entender por que o feedback tem se tornado uma ferramenta cada vez mais relevante na atualidade, acompanhe o post que preparamos e descubra!

A importância do feedback no mundo corporativo

O cérebro humano é dotado de um sistema de recompensa. Isso quer dizer que tendemos a repetir comportamentos que nos trouxeram algum benefício. Essa condição nos rege em vários momentos da existência, incluindo no trabalho.

As transformações mercadológicas sugerem uma nova forma do homem enxergar a si próprio e a empresa para a qual trabalha. Nesse cenário, líderes e gestores passaram a desempenhar um papel bem mais abrangente do que o de outrora.

Hoje, não basta dar ordens e exigir que elas sejam cumpridas a qualquer custo, sem que se tenha um olhar diferenciado sobre o seu liderado. Da mesma maneira, não é suficiente, e nem aceitável, se dirigir a um colaborador de forma agressiva por ele ter feito algo de modo insatisfatório.

É preciso reformular os paradigmas e encontrar novos meios de administrar as relações no ambiente organizacional. Assim, é possível estimular um melhor desempenho dos funcionários e contribuir para que o desenvolvimento deles seja mais eficaz.

E é nesse ponto que entra o feedback. O termo, que vem do inglês, designa um processo retroalimentador de comunicação. É uma ferramenta que visa promover o aprendizado e o aprimoramento em toda a esfera empresarial.

Em uma corporação, o feedback pode se manifestar de várias maneiras. A mais comum é em forma de parecer sobre um grupo ou sobre uma pessoa, avaliando sua performance na realização de uma tarefa e/ou função.

O principal objetivo é reforçar as qualidades e contribuir para o crescimento profissional do funcionário e da empresa, encontrando, junto aos colaboradores, meios para lidar com os pontos que necessitam de melhorias.

Dessa forma, é possível motivar o empregado a exercer o seu trabalho com um maior desempenho, pois receber uma crítica construtiva, ou ter a sua voz ouvida, o faz se sentir mais reconhecido e valorizado pelo que faz. Lembra do sistema de recompensa? Esse é um dos modos dele entrar em ação.

A liderança tem um papel fundamental nesse processo, pois, parte da tarefa de um bom líder é compreender a importância de uma conversa franca com o seu liderado e cuidar para que o resultado da ação não seja o contrário do desejado.

Para tanto, o líder precisa ter as competências necessárias para saber o que dizer, como se expressar, quando e onde o fazer, além de saber escutar, é claro! Isso evitará que seu interlocutor leve o que ouvir para o lado pessoal e também que ele se abra para entender o que for falado como algo positivo para o seu crescimento.

Pesquisa sobre feedback

Um estudo realizado, em 2015, pelo Top Employers Institute, com 600 empresas de 99 países, revelou que os profissionais consideram o feedback como o melhor método para mensurar o desempenho.

Segundo os dados recolhidos, a tradicional revisão anual de desempenho não é o suficiente para a maioria dos trabalhadores, que preferem retornos mais rápidos e constantes, bem como ter processos mais transparentes no estabelecimento de metas.

Nesse quesito, as empresas brasileiras provaram estar bem alinhadas à tendência global. No país, foram 26 organizações participantes. Elas empregam, juntas, mais de 300 mil profissionais.

A pesquisa constatou que 100% dessas empresas fornecem treinamentos aos seus gerentes para que eles possam dar feedbacks abertos, construtivos e de forma contínua aos seus funcionários.

Esse percentual coloca o Brasil à frente de vários países tidos como mais desenvolvidos — como exemplo pode-se citar a Itália (87%), o Reino Unido (90%) e a França (79%).

Outro dado interessante é que, em 79% das organizações que participaram do estudo no país, os gerentes têm total transparência nos objetivos de desempenho para com seus subordinados diretos. Esse índice é de somente 13% na França e 43% na Alemanha.

Concluiu-se, com o estudo, que as companhias certificadas pelo Top Employers Institute evoluíram e passaram a redefinir as metas de desempenho de seus funcionários, transformando-as de avaliações feitas apenas uma vez no ano para processos de diálogos contínuos e transparentes, realizados no dia a dia.

Os ganhos da sua empresa ao dar feedback aos colaboradores

Para algumas pessoas, o feedback é sinônimo de broncas e está relacionado com sentimentos negativos como medo e mágoa. Isso se dá porque, em algumas culturas, a crítica não é fomentada. E quando é preciso corrigir algo que não está de acordo com as expectativas, o meio mais utilizado é a agressividade.

Para que se mude tal perspectiva, o feedback deve ter o seu status elevado ao patamar de uma cultura. Ele é um exercício fundamental para o desenvolvimento das pessoas e para a construção e manutenção de um negócio.

Ao prestar um serviço ou fornecer um produto, é comum que se espere uma avaliação, um retorno do que foi feito. Entretanto, a resposta pode não ser tão positiva quanto se espera, o que pode desestimular o prestador.

Aprender a lidar com uma resposta negativa é essencial, pois é nessa hora que surge a oportunidade de desenvolvimento. É uma escolha que deve ser feita: o sujeito pode se aprimorar ou se recolher em um canto para lamentar ou, ainda, se irritar.

Criando-se uma cultura de feedbacks dentro da organização e incentivando-a entre gerentes e subordinados, reforça-se a sua via dupla. Dessa forma, a maturidade para recebê-lo será uma consequência natural, bem como a harmonia no ambiente de trabalho.

Com a adoção do feedback como uma cultura, o respeito é mútuo entre ambas as partes, gerando uma comunicação e um relacionamento mais síncronos e dinâmicos. Todos saem ganhando: equipe, líder, empresa e cliente.

Para melhor demonstrar o potencial do feedback, listamos, abaixo, algumas vantagens de inseri-lo no cotidiano da companhia. Observe!

  • Agilidade na tomada de decisões e resolução de problemas

Com a implementação de um sistema de feedbacks regulares, passa-se a detectar os problemas de maneira muito mais rápida. Isso proporciona mais agilidade para resolver os pontos problemáticos ou até mesmo evitar que eles surjam.

  • Maior proximidade entre gestores e colaboradores

Um diálogo aberto traz mais confiança para a relação profissional. Ele demonstra, de certa forma, desvelo e apreço. Isso abre um caminho de comunicação que permite ao funcionário se dirigir ao seu líder sempre que sentir necessidade e vice-versa.

  • Evolução do profissional e da empresa

Não basta saber que se fez algo de modo incorreto, é preciso saber por que não está bom e como se deve fazer para melhorar. O feedback dado de forma eficaz promove o aprendizado, a melhoria dos processos empresariais e aprimora o desempenho do funcionário.

  • Melhora do clima organizacional

Em um local no qual os colaboradores de um mesmo nível hierárquico sabem que podem contar com seus líderes e uns com os outros não há espaço para fofocas e conflitos. Todos trabalham com o mesmo objetivo e a união da equipe é uma consequência.

  • Redução do turnover

Muitas pessoas querem crescer pessoal e profissionalmente. Por isso, elas buscam estar em lugares que lhes permitam alcançar suas metas e objetivos. Uma empresa que ouve e respeita seus profissionais, procurando auxiliá-los sempre que possível, garante sua permanência no quadro de funcionários.

  • Aumento dos lucros da empresa

A equação é simples: empresa que ouve e avalia constantemente seus colaboradores gera o senso de pertencimento em seus profissionais. Esses, por sua vez, ficam mais satisfeitos e se tornam mais engajados em suas funções. O resultado disso é mais produtividade e, consequentemente, mais lucratividade para a organização.

Esses são apenas alguns dos muitos benefícios trazidos pelo feedback. A ferramenta pode ainda diminuir incertezas e ansiedades. Ela também pode ser considerada como uma bússola que norteia o caminho a ser seguido para que se alcance com mais eficácia os objetivos almejados.

O feedback como ferramenta motivacional

É um equívoco acreditar que apenas os feedbacks positivos terão bons resultados. Na verdade, alguns estudos apontam que eles podem levar a uma diminuição no esforço do profissional. Já os feedbacks negativos podem impulsionar o desejo de melhoria.

Além disso, receber apenas retornos positivos pode fazer com que uma pessoa não saiba lidar com um feedback negativo no longo prazo. Tal condição pode se mostrar complexa quando for necessário corrigir alguma ação incorreta.

O ser humano, em geral, tem uma visão positiva de si mesmo e, para mantê-la, procura conexões sociais que o auxilie a sustentá-la. Por isso, ainda que um feedback negativo seja dado com o intuito de ajudar, ele pode ser percebido como uma ameaça — o que faz com que algumas pessoas busquem se esquivar dele.

É claro que a regra tem suas exceções, mas a ressalva serve para que se busque o equilíbrio entre o retorno negativo e o positivo, avaliando com cautela a situação e recorrendo ao que for mais adequado para o momento.

Escute e selecione as melhores ideias com crowdsourcingPowered by Rock Convert
engajamentoPowered by Rock Convert

Experiência de Hawthorne

O pesquisador Elton Mayo, em 1927, realizou um estudo na Western Electric Company para avaliar o quanto as condições de trabalho influenciam na produtividade dos funcionários. Ele fez alterações na iluminação do local para mensurar a eficiência dos operários.

Enquanto uma equipe trabalhava sob uma intensidade de luz variável, o grupo de controle ficou sob uma intensidade constante. Ao fim da primeira fase do experimento, constatou-se que os dois grupos apresentaram aumento na produtividade.

Na segunda fase, a iluminação da sala em que era realizado o experimento foi reduzida. Com isso, esperava-se uma queda na produção. Todavia, o que se registrou foi o contrário, novamente a produção havia crescido.

Esse fato confundiu os pesquisadores, que não conseguiram provar nenhuma relação simples entre o ritmo de produção e a intensidade da iluminação no local de trabalho. Tal estudo ficou conhecido como Experiência de Hawthorne.

E sua conclusão foi que o que influenciava a produtividade dos funcionários envolvidos não era a intensidade ou a qualidade da iluminação, e sim, a atenção que eles receberam ao participar do experimento.

Feedback e motivação

As diversas abordagens da Psicologia postulam que a motivação é intrínseca ao homem. Isso quer dizer que ninguém motiva a outra pessoa, a não ser que ela já esteja predisposta a enfrentar a mudança.

No entanto, são várias as razões que podem levar alguém a ficar motivado em seu trabalho. A remuneração e promoção de cargo podem ser relevantes. Contudo, o reconhecimento dos esforços despendidos e uma perspectiva de crescimento podem fazer um efeito bem maior.

Dar um feedback, seja ele positivo ou negativo, não garante que a transformação se dará como em um passe de mágica. Mas os funcionários precisam saber que estão sendo valorizados e que as suas contribuições estão sendo vistas.

O papel da gestão de pessoas é trazer informações que duelem entre si para que a motivação venha à tona em sua equipe. Isso quer dizer que o profissional precisa ter consciência do que faz de melhor, mas também deve saber em quais pontos ele precisa melhorar.

Ao fomentar uma cultura de feedback, geram-se estímulos positivos que resultam em uma mão de obra mais empenhada. Os colaboradores ficam mais motivados e se sentem mais confortáveis com o ambiente de trabalho.

O feedback nos tempos de mundo digital

Banco de currículos online, rede social corporativa, sites de recrutamento etc. Não há como negar que estamos em uma era digital. Contudo, a tecnologia traz desafios constantes para o RH e para a gestão de pessoas.

A ressignificação dos setores responsáveis pelo relacionamento das empresas com o seu público interno é um assunto que vem gerando preocupação e discussões entre especialistas de todo o mundo, pois percebe-se um atraso nesse departamento.

Algumas empresas, principalmente as mais novas, estão se adaptando rapidamente. As mais tradicionais, entretanto, podem apresentar mais resistência e terem maiores dificuldades para se encaixar no atual contexto.

Porém, cedo ou tarde, total ou parcialmente, todas se renderão a algum aspecto tecnológico. Esse fator faz parte da evolução inerente à sociedade. Afinal, seja por meio de redes sociais, pagamentos de contas ou compras via internet, as pessoas estão cada vez mais conectadas.

A organização que deseja se destacar ou simplesmente se manter ativa no mercado precisa acompanhar e se alinhar a tais transformações. Ela deve entender quais são as suas necessidades e escolher, dentre tantos recursos, o que mais se ajusta à sua realidade.

É necessário que a transformação digital envolva toda a empresa. Isso significa implantar sistemas que facilitem os processos em seus diversos setores. Os custos devem ser vistos como investimentos que trarão retornos no curto e no longo prazo.

Além disso, a liderança deve estar envolvida e ter um pensamento diferente. Os líderes precisam encorajar a mudança e enxergá-la como uma inovação que terá como consequência uma melhor experiência tanto para eles quanto para funcionários, clientes, fornecedores etc.

Pensar em feedback na era digital é idealizar transformações positivas que deixarão a organização um passo à frente dos seus concorrentes. Colocar em prática projetos que envolvam a tecnologia tira a companhia da posição de obsoleta e a torna uma referência.

Plataforma de feedbacks

A comunicação interna tem deixado de ser apenas um apoio para as diversas áreas da empresa e alçado o status de um setor estratégico. A visão do ser humano como o maior capital de uma empresa ajudou, e muito, a promover essa mudança.

Atualmente, as pessoas não se satisfazem mais com informações superficiais e meios de comunicação que não retratam a realidade da organização de forma fidedigna. Os funcionários querem não apenas conhecer a empresa e seus processos, mas também participar das tomadas de decisões.

A interação e o diálogo aberto são exigências crescentes desse público, já que é ele quem leva a cabo a execução dos projetos dentro da corporação. O bom clima organizacional e o fortalecimento da cultura dependem disso.

Esse novo cenário proporcionou a criação de plataformas especializadas em facilitar a comunicação entre colaboradores e lideranças. Com poucos cliques, em dispositivos eletrônicos como smartphones e tablets, é possível dar e receber um feedback.

Essa é uma solução fácil e eficaz. As informações chegam em tempo real e os processos são tão simples que todos os funcionários podem participar sem gastar muito do seu tempo e tendo a certeza de que serão ouvidos.

Os aplicativos de feedback para o mercado corporativo são ferramentas poderosas e disruptivas que têm o potencial de redefinir a forma de gerenciar as organizações. Elas geram um engajamento muito mais perceptível do que a pesquisa anual de desempenho.

As 5 outras razões para dar feedback (e saber receber)

São incontáveis os benefícios gerados por uma cultura de feedback. Ao longo deste post citamos alguns deles. Mas, se você ainda tem dúvidas do que essa cultura pode fazer por sua empresa, lhe mostraremos, a seguir, mais 5 razões para implantá-la. Veja!

1. Facilita conversas difíceis

Algumas tarefas são reconhecidamente mais complicadas de serem executadas do que outras. Sua realização exige mais dedicação e, por vezes, outra abordagem. E nem sempre é fácil explicar isso a um funcionário.

Entretanto, quando existe o hábito de fornecer feedbacks é mais tranquilo conversar sobre assuntos delicados. Isso também se aplica em momentos de crise ou quando há mudanças significativas no contexto organizacional que envolvam os colaboradores.

2. Deixa clara a definição de metas e objetivos

Definir metas e objetivos é essencial em todo e qualquer âmbito da vida. Todos precisam saber onde estão e aonde querem chegar. Em uma organização, esse ato se faz necessário desde o primeiro dia de um novo colaborador.

Cabe à empresa essa definição quando o assunto são os objetivos que devem ser atingidos pela equipe. Ninguém deve ficar de fora, cada colaborador precisa ter em mente qual a sua responsabilidade no processo para que, junto com a equipe, se consiga alcançar resultados no planejamento que foi traçado.

Os feedbacks auxiliam no desenvolvimento dessa ação, pois trazem a transparência necessária. Além disso, eles garantem o acompanhamento da execução do plano e a correção rápida das falhas que poderão surgir no seu decorrer.

3. Desenvolve a capacidade de ouvir

Muitas pessoas têm facilidade em falar, mas não desenvolvem a escuta. Desde crianças, aprendemos a nos comunicar, porém, quase ninguém aprende a ouvir. A escuta atenta do que o outro diz pode facilitar a resolução de muitos problemas.

Para receber feedbacks, é indispensável ser um bom ouvinte, já que essa é uma competência muito valorizada no mercado. Isso acontece porque sempre há o que se aprender, e quem sabe ouvir adquire mais conhecimento.

4. Promove a humanização dos processos

Alinhar a força de trabalho é o desejo de toda empresa. Esse nivelamento traz fluidez para o planejamento de eventos, facilita o gerenciamento de mudanças, promove a criação de estratégias de crescimento, dentre outras vantagens.

Quando a voz de todos os funcionários é ouvida, a compreensão e a empatia ganham força, favorecendo o cuidado de um colaborador com o outro e do líder com a equipe. Isso é humanizar as relações, o que traz reflexos diretos nos processos da organização.

5. Aumenta a confiança na empresa

A confiança é o elemento mais importante em equipes de alto desempenho. Não se pode ter uma equipe eficaz ou um relacionamento duradouro sem ela. Este é o denominador comum na maioria das organizações prósperas: confiança no local de trabalho.

Mas para conquistá-la é preciso alinhar os valores da equipe aos da empresa. As regras são importantes para determinar o que se pode ou não fazer. Entretanto, os valores indicam o que se deve ou não realizar. Reconhecer a honestidade de um colaborador e demonstrar o seu valor é o melhor jeito de conquistar a sua confiança.

Capturar insights de funcionários é um elemento essencial para levar uma organização para o futuro. Colaboração, criatividade e engajamento são mais valorizados do que nunca. Mas cultivar esses princípios demanda tempo e dedicação. Contudo, esse é o único meio de assegurar o envolvimento de todos. E o feedback é a ponte que faz essa ligação.

Agora que você já sabe um pouco mais sobre a cultura de feedback, assine a nossa newsletter e receba os melhores conteúdos do nosso blog em primeira mão!

Powered by Rock Convert