O novo modelo mental do mercado de trabalho tem se tornado indispensável devido às mudanças constantes no mundo corporativo. Donos de empresa e gestores precisam estar atentos, pois as inovações são capazes de influenciar processos, estratégias, políticas e, em alguns casos: a cultura organizacional.

Não adianta o gestor investir em uma transformação de determinada atividade se não alterar o seu modelo mental. Ele precisa mudar a forma de enxergar o processo e seu resultado e estabelecer um novo sentido para tal. Dessa forma, com uma nova visão, a chance de a transformação dar certo será maior, principalmente se durante o percurso o trabalho em equipe for a prioridade.

Neste conteúdo vamos apresentar a importância da valorização das equipes nas organizações e como o modelo mental pode ajudar a dar certo. Não perca a leitura!

Como as empresas têm mudado os hábitos nos últimos anos?

Com a conscientização das organizações de que o melhor capital a ser cultivado e desenvolvido é o humano, nos últimos anos, um dos requisitos mais solicitados e valorizados em processos de recrutamento é a habilidade para trabalhar em equipe.

Os líderes perceberam que os times produzem melhores resultados quando desenvolvem suas atividades em conjunto e em sintonia. Além disso, um bom relacionamento entre os pares é importante para a manutenção de um clima interno saudável e cooperativo.

Para melhorar um pouco mais, talentos com facilidade no trabalho em conjunto são mais requisitados no auxílio às funções estratégicas do negócio, pois eles sabem ouvir e se expressam com empatia e cordialidade, atuando como facilitadores.

Por que o alinhamento de setores é importante para a empresa?

Com organogramas cada vez menos verticais, as empresas começam a compreender que, para o negócio dar certo, é necessário que os setores estejam integrados e seus colaboradores com uma visão correta sobre a importância dessa estratégia para o cumprimento das metas e do crescimento organizacional.

Quando a empresa desperta para a necessidade de alinhar seus setores consegue extrair inúmeros benefícios:

  • ganho de produtividade;
  • redução de custos operacionais;
  • estabelecimento de uma cultura de inovação a partir da troca de ideias entre diferentes tipos de habilidades e visões;
  • aumento da satisfação dos clientes internos e externos, que passam a perceber mais eficiência no dia a dia do negócio;
  • atração e retenção de talentos com potencial colaborativo e com facilidade de trabalhar em equipe;
  • elaboração de planos de ação conjuntos entre departamentos em prol da melhoria dos processos;
  • particularização em relação à concorrência pode reverter em mais lucratividade.

Para que esse alinhamento dê certo, o RH e os líderes precisam descobrir pontos em comum entre os setores e iniciar a integração a partir dessas afinidades. Ao descobrirem afinidades, os talentos começam a enxergar os outros setores com mais empatia e gradativamente iniciarão o processo de unificação.

Profissionais com o modelo mental compatível com o alinhamento dos setores devem ser valorizados e incentivados a promover essa visão, pois eles serão os melhores incentivadores dessa prática tão importante para o crescimento corporativo.

O que é o modelo mental e como é o seu funcionamento?

Nos tópicos anteriores utilizamos a expressão modelo mental, mas não aprofundamos o assunto. Agora, vamos compreender o que é o modelo mental e como ele influencia as estratégias das organizações.

O que é o modelo mental?

Cada ser humano tem uma forma de enxergar as situações ao seu redor, e isso é um reflexo das fontes causadoras dessa visão. Elas são como filtros e é por meio deles que organizamos e damos sentido às nossas experiências. Inclusive, essas 4 fontes determinam as respostas que damos às circunstâncias que se apresentam em nossas vidas.

Artigo_ProsperarPowered by Rock Convert

O modelo mental tem sua formação baseada nas seguintes fontes:

Biológica

Esse primeiro filtro é formado pelo sistema nervoso, em que absorvemos a situação ao redor e reagimos ou não conforme assimilamos. Toda limitação interna nos impede de tomar atitudes ou refletir.

Linguagem

Um filtro composto pelo meio com o qual se estrutura a consciência do ser humano. A forma como nos comunicamos com o mundo e com nós mesmos. A linguagem, nesse caso, é baseada no rótulo que colocamos naquilo que conhecemos. Um bom exemplo é o sotaque de cada região do país, só de ouvir, algumas pessoas sabem sua origem.

Experiência pessoal

Esse filtro diz respeito ao que somos e nos tornamos ao longo dos anos: sexo, raça, nacionalidade, influências familiares, nível de educação, professores que tivemos, a forma como fomos tratados pelos nossos pais, amigos que escolhemos.

A forma como iniciamos nossa carreira profissional também é fruto da nossa experiência profissional e determinante para o nosso sucesso.

Cultural

Dentro de qualquer grupo: família, religião, país e outros, são desenvolvidos modelos mentais coletivos baseados nas experiências compartilhadas. Em cada círculo existe um conjunto de valores típicos de cada cultura e ela é determinante para os nossos relacionamentos.

Como é o modelo mental de pensamento coletivo?

Quando a empresa compreende os modelos mentais de cada talento — e isso pode ser feito por meio de pesquisas, feedback e reuniões com a equipe — será possível promover ações que estimulem a empatia, o respeito mútuo, o despertar do autoconhecimento e a incorporação da cultura organizacional.

A partir desse descobrimento o RH poderá iniciar as mudanças estratégicas necessárias, transformando inicialmente as relações humanas e a consequência serão equipes alinhadas, engajadas, produtivas, motivadas e as metas corporativas alcançadas.

A forma como cada pessoa enxerga o mundo é o chamado modelo mental, alguns fatores interferem mais outros menos nas respostas que elas dão às situações que se apresentam. O indivíduo costuma construir grupos com modelos mentais compatíveis com o seu e isso não é diferente no mundo corporativo.

O RH e os líderes devem formar estratégias de pesquisa e conhecimento capazes de mapear esses modelos e desenvolver os talentos de forma que todos tenham uma nova visão da cultura empresarial, a fim de aderirem à estratégia do negócio de forma engajadora e produtiva.

Neste conteúdo você compreendeu o quanto o modelo mental do mercado de trabalho é importante na formação de equipes engajadas e produtivas. Quando o coletivo está em sintonia, todos os processos da empresa fluem de forma otimizada e eficiente. Investir em uma estratégia como essa traz grandes benefícios para o negócio e seus profissionais.

Não perca nossos conteúdos e assine nossa newsletter! Oferecemos conhecimento constante direto na sua caixa de e-mail!