Se o absenteísmo elevado é um problema na sua empresa, saiba que não adianta penalizar os colaboradores sem mudar a gestão de pessoas.

Na verdade, as principais causas das faltas e atrasos estão ligadas ao clima organizacional, engajamento e bem-estar dos profissionais. 

Para garantir a assiduidade, você precisa investir na experiência do colaborador e criar um ambiente de trabalho estimulante. 

Por isso, preparamos este guia rápido com dicas de como diagnosticar o absenteísmo elevado, identificar suas causas e superar o problema. 

Leia até o fim e saiba como o RH pode mudar o quadro. 

O que significa absenteísmo elevado?

O absenteísmo elevado indica que os colaboradores estão faltando ao trabalho ou se ausentando com frequência — o que pode trazer sérios prejuízos à empresa.

Para identificar esse problema, o RH soma os períodos de ausência dos funcionários e avalia o padrão de assiduidade individual e geral.

São contabilizadas todas as faltas, atrasos e saídas antecipadas, com ou sem justificação legal, incluindo licença maternidade, afastamento por doença e faltas por greve no transporte público, por exemplo — com exceção das férias. 

Assim, o resultado é índice de absenteísmo, que revela o total de horas ausentes e a capacidade produtiva perdida no período. 

Obviamente, um absenteísmo elevado é sinônimo de prejuízo para as empresas, pois reduz a produtividade, afeta o clima organizacional e sobrecarrega as equipes desfalcadas. 

Uma pesquisa realizada em 2019 pela empresa de tecnologia Levee, publicada na Uol, revela que as 500 maiores empresas do Brasil deixam de ganhar R$ 230 milhões ao ano por conta da improdutividade.

Entre as razões do problema, está o alto índice de absenteísmo: 5% dos funcionários faltam diariamente nas empresas de serviços, varejo e alimentação, e o índice fica entre 7% e 10% em alguns segmentos varejistas.

Outra causa relacionada à falta de assiduidade é a alta taxa de turnover (rotatividade), que atingiu uma média de 40% ao ano nas grandes empresas. 

Já nos EUA, o prejuízo do absenteísmo atingiu US$ 225,8 bilhões ao ano em 2016, ou US$ 1.685,00 por colaborador, segundo dados do Centers for Disease Control and Prevention.

Ou seja: reduzir o absenteísmo é uma prioridade para o RH, que precisa monitorar o índice de perto e identificar suas causas. 

Como calcular o índice de absenteísmo

Para saber se o absenteísmo está elevado na sua empresa, você precisa calcular o índice geral no último período.

Para isso, basta utilizar a fórmula:

Índice de absenteísmo = Total de horas ausentes/ Total de horas trabalhadas x 100

Supondo que você tenha 30 colaboradores cumprindo uma jornada de 8 horas diárias durante 22 dias úteis, são 5.280 horas mensais trabalhadas.

Se ao checar o sistema de ponto você contabilizar, por exemplo, 40 horas perdidas em atrasos e 95 horas de faltas, significa que foram 135 horas perdidas no mês.

Logo, o cálculo fica:

135 / 5.280 x 100 = 2,55%

Nesse caso, o índice de absenteísmo é de 2,55%, considerado aceitável na maioria das empresas.

No entanto, seu parâmetro de comparação deve ser o histórico da empresa, e qualquer aumento no resultado de um mês para o outro deve ser investigado — daí a importância de medir constantemente o índice. 

Principais causas do absenteísmo elevado

Depois de diagnosticar o absenteísmo elevado, você precisa descobrir quais as causas do problema na sua empresa.

Antigamente, toda a culpa das ausências era atribuída aos próprios colaboradores e as medidas comuns das empresas eram advertências, punições e demissões.

Hoje, no entanto, está claro que a má gestão e um clima organizacional negativo são determinantes para a falta de assiduidade dos profissionais, além de problemas de engajamento, excesso de pressão e falta de atenção ao bem-estar no trabalho.

De acordo com uma pesquisa da Gallup, realizada em 2017 nos EUA, as empresas com clima organizacional negativo e colaboradores desmotivados possuem índices 37% maiores de absenteísmo, além de uma produtividade 18% menor.

Por outro lado, as empresas com altos níveis de engajamento entre as equipes conseguiram reduzir seu absenteísmo em 41% e aumentar a produtividade em 17%

Logo, as principais causas do absenteísmo estão ligadas às condições do ambiente de trabalho e à qualidade da experiência do colaborador (employee experience).

Entre as principais razões para as ausências constantes, podemos citar:

  • Estresse, ansiedade e burnout 
  • Situações de assédio moral e sexual
  • Depressão e outras doenças psiquiátricas incapacitantes
  • Falta de motivação e propósito no trabalho diário
  • Falta de perspectivas de crescimento na carreira
  • Acidentes de trabalho e doenças ocupacionais
  • Liderança ineficiente e negativa
  • Sobrecarga de trabalho e horas extras
  • Problemas familiares
  • Dificuldade em equilibrar a vida pessoal e profissional.

É claro que alguns motivos fogem ao controle das empresas, mas a maioria das causas podem ser combatidas com uma revisão nas políticas do RH e na cultura da organização. 

5 passos para superar o absenteísmo elevado 

Para prevenir e combater o absenteísmo elevado, você precisa de estratégias de engajamento e promoção do bem-estar entre colaboradores.

Acompanhe o passo a passo para melhorar a assiduidade na sua empresa.

1. Identifique as principais causas do problema

O absenteísmo elevado pode ser causado por múltiplos fatores, e você precisa descobrir quais são determinantes na sua empresa.

Para começar, você precisa separar as ausências voluntárias das involuntárias, pois há várias situações em que o colaborador falta por motivos de força maior, por exemplo:

  • Falecimento de familiares 
  • Casamento
  • Doação de sangue
  • Serviço militar
  • Comparecimento em juízo
  • Cuidados com filhos
  • Afastamento previdenciário
  • Maternidade.

Logo, o RH deve contabilizar esse tipo de ausência de forma diferente das faltas e atrasos não justificados — esses, sim, motivo de preocupação. 

Para isso, é importante fazer pesquisas com os colaboradores e investigar as principais dificuldades em manter a assiduidade.

2. Crie um programa de bem-estar na empresa

Uma das tendências globais do RH é o programa de bem-estar no ambiente de trabalho, que implementa uma série de medidas para garantir a saúde física e psicológica dos colaboradores.

Segundo o relatório 2019 Global Human Capital Trends da Deloitte, o mercado de bem-estar nas empresas já movimenta US$ 45 bilhões nos EUA, e as organizações estão gastando 7% mais nessa área.

Os programas corporativos incluem dias de folga remunerados, lanches à disposição, massagens, assinatura de academias e espaços pensados para o conforto e lazer dos funcionários durante o expediente.

3. Ofereça mais flexibilidade

Entre as razões do absenteísmo, destacam-se o estresse e sobrecarga de tarefas que são típicos do ritmo acelerado dos nossos tempos. 

Para se adaptar à nova realidade da era digital, é importante que você ofereça condições mais flexíveis de trabalho aos colaboradores, para facilitar a conciliação entre vida pessoal e profissional.

Isso inclui opções de horários flexíveis e home office semanal, que tendem a aumentar a produtividade dos profissionais e reduzir drasticamente suas ausências. 

4. Invista no clima organizacional

Ninguém se anima em acordar e ir para a empresa quando o ambiente de trabalho é pesado, de alta pressão e desmotivador, certo?

Por isso, você precisa investir na melhora do clima organizacional, tornando o ambiente mais acolhedor, estimulante e aberto à participação de todos.

Ao criar uma cultura de inovação e aprendizado, você terá uma atmosfera mais positiva — um antídoto para o absenteísmo elevado.

5. Leve o engajamento a sério

O engajamento é a palavra-chave atual do RH, e precisa ser levado a sério em casos de absenteísmo elevado.

Entre os propulsores da motivação no ambiente de trabalho estão a autonomia para tomar decisões, liderança positiva, oportunidades de crescimento profissional, programas de reconhecimento e feedback constante. 

Logo, você pode personalizar suas iniciativas de engajamento e combater o absenteísmo na sua raiz. 

Waggl: crowdsourcing contra o absenteísmo

Se você quer combater o absenteísmo elevado na sua empresa, a Waggl tem uma tecnologia inovadora para isso. 

E se você pudesse impulsionar a participação coletiva dentro da empresa, dar voz aos seus colaboradores e criar um ambiente colaborativo com uma única ferramenta?

É exatamente a proposta da Waggl: uma plataforma de crowdsourcing que coleta ideias, opiniões e votações das pessoas para promover a tomada de decisão rápida e certeira.

Para isso, nossa solução utiliza a metodologia de pesquisa pulso e um algoritmo poderoso chamado Elo Rating System, que garante o ranqueamento imparcial e autêntico das respostas mais votadas.

Funciona assim: você cria enquetes e pesquisas com perguntas fechadas (já com métricas inteligentes) e sempre com uma pergunta aberta — todas respondidas pelos colaboradores na própria plataforma.

Depois, todos podem votar nas respostas qualitativas pareadas dos demais participantes, gerando um ranking com as melhores opiniões.

Assim, você saberá exatamente o que os colaboradores esperam do ambiente de trabalho e poderá acessar insights valiosos a partir da inteligência coletiva. 

Com esse nível de participação e engajamento, o absenteísmo elevado nunca mais será um problema na sua empresa.

Se quiser comprovar a eficácia da Waggl, é só agendar sua demonstração online e gratuita. 

E agora, está mais seguro para combater o absenteísmo?

Compartilhe este conteúdo para ajudar outros profissionais do RH.